Escolho Fotos que me Inspirem

Fotógrafo - Pede AQUI para retirar a Foto do Artigo

Voltar ao BLOG
  • Francisco Capelo

O CIRCO



---


“O CIRCO”



Esta fase de desvario universal mediatizado apenas vem confirmar o óbvio: um sistema global de representação artificial das forças reais da sociedade civil – onde o paradigma "Política- TV" é simplesmente mais do mesmo: o sintoma final que confirma a doença socio.lógica inicial.


...


Vejamos os múltiplos exemplos, incluindo a nossa sono-lenta Tugatown, onde parece nada suceder (e contudo tudo se passa perante a apatia reinante):



. Paulo Portas – começou no jornalismo (O Independente) >> passou à política (CDS-PP) >> e a mais recente (e previsível) fase – o comentário político, pois claro

. Francisco Louçã – longa fase de activismo político (Política XXI) >> política (Bloco de Esquerda) >> ensino de Economia >> “acabando” também ele no patamar mais ansiado: o comentário político


. Marcelo Rebelo de Sousa – jornalismo (Expresso) >> política (PSD) >> comentário político (na TVI, que o levou ao desejado cargo actual) >> nos entretantos o ensino (um professor de Direito curioso e criativo)


. O actual ministro da Cultura – Pedro Adão e Silva – da tão maltratada Sociologia >> ao ensino >> e ao comentário político- e- mais- além foi um pequeno passo >> e agora finalmente – chega à política “activa”


. O líder do Chega, André Ventura, foi mais directo e não esteve para perder tempo com comentário político vão >> começou no comentário desportivo puro e duro na polémica mas popular CMTV >> até desembocar na muito desejada liderança política radical



---


Para citar o exemplo mais recente e mais óbvio, nos grandes United states de L´ America, o senhor Donald Trump veio do ramo imobiliário (apoiado num mix de política e mafia) >> para a TV (O Aprendiz) >> que o fez aterrar na política (num partido Republicano que não se sabe muito bem o que aquilo é) >> rumo ao tão ambicionado posto na Casa Branca – e por este caminho “Democrata” de um sleepy Biden à deriva >> vai lá voltar muito em breve, para destruir o que faltou destruir



---


No palco mediático da Guerra- Pop da Ucrânia, um teatro semelhante ocorre, perante os nossos atónitos olhos:

Vlodimir Zelenski passou de um actor/ comediante na TV ucraniana >> a político “encartado” e apoiado por Kolomoisky, um dos oligarcas mais poderosos naquelas bandas (oligarca este que saiu da confusão um pouco antes dela sequer ter começado - curioso!): >> do seu programa de TV “O servo do povo” retirou o mesmíssimo nome para o seu novíssimo partido – pensávamos que um cómico seria um pouco mais criativo…


Mas..


“- Para quem é.. bacalhau basta!”


, deve ter pensado tão oco e tão pouco representativo personagem- fabricado na TV (mais um!)



---



Vamos então rebobinar a matéria e pensar aqui um bocado nesta cena:

. Irão: os líderes iranianos estão directamente ligados ao fenómeno religioso


. Rússia: o líder russo está ligado ao KGB


. Cuba: os líderes cubanos ao partido comunista


. China: o líder chinês vem de um partido- que- se- tornou- ele- próprio- um- estado- gigante, mas já sem qualquer conexão ao comunismo enquanto matriz ideológica basilar (tal como a Rússia, tendo ambas abraçado totalmente o funcionamento capitalista)



Bom, okokok, mas… pelo menos estes líderes estão ligados a instituições minimamente representativas de algo que.. bem, que EXISTA de facto - ou não?? Ou é remédio melhor meter lá uma personalidade fabricada pelos mass media, promovido pelos padrinhos do sistema, desde que cumpra bem o seu papel mediático??



Entre defender lá na Síria um Bashar al- Assad que não tem mãos a medir perante o terrorismo que lá meteram à pressão, ou armar os terroristas até aos dentes da Al- Qaeda e vários outros grupos que tentam destruir absolutamente TUDO à sua volta – Putin pelo menos é claro:



- "Nós defendemos quem chegou de forma legal e legítima ao poder! Como é o caso de Assad – senão, em termos de política internacional - aí sim é o Salve-se quem puder!!"




Já os americanos têm outra cartilha, tremendamente inovadora (e bem cínica):



- "Nós defendemos quem nos dá jeito em cada momento! – incluindo grupos 257% terroristas até ao tutano!! E daí a uns anitos lá teremos de ir também bombardear esses grupos terroristas, porque entretanto se tornaram (com o nosso apoio) virtualmente incontroláveis!"


(exemplo: Al Qaeda e ISIS, ISIS esse que surgiu de um tiro no pé inacreditável - a meias entre serviços secretos amador e narrativa- TV infantil)



Neste contexto, é preferível um Zelenski- testa de ferro dos USA e dos oligarcas? Que enquanto for útil deixam-no lá estar a fingir- que- manda; e quando se tornar incómodo (vide Kadafi na Líbia, Saddam no Iraque, Noriega no Panamá e muitos eteceteras) – tiram-no de lá à lei da bala e do canhão? Estilo agora o golpe de estado soft no Paquistão apoiado pelos grandes USA – contra o patriota Imran Khan?


- Ou o golpe em 2014 que lá meteu este Zelenski, numa praça Maidan à pinha onde esta ingénua e muuuito democrática Victoria - “Fuck the European Union!”- Nuland andava a distribuir biscoitos e dólares na multidão, apelando ao tiroteio final que matou uns dois ou três (ou cem) cidadãos ucranianos, num golpe- sniper que tem o carimbo do modus operandi da CIA?



---


Meus amigos, isto agora vai ser simples:


. Os USA defendem um sistema (monetário- petróleo e militar- milionário) de controle total e absoluto, entre um SENHOR e seus vassalos;


. Já a Rússia e China (e grande parte do mundo, diga-se de passagem) estão fartinhos desse modelo de destruição absoluta e defendem um modelo multipolar, de efectivo respeito pelas lideranças dos outros países, e de desenvolvimento mundial integrado.


A grande maioria dos países (desde América do Sul à Ásia, passando por África e o recente motor desta "Revolta na Bounty" - a influente adormecida Eurásia) já escolheu este novo poder sem pestanejar – ao contrário do que nos querem fazer acreditar nestas tão cândidas TV´s tugas e ocidentais e tal… estilo SICk - que, elas sim - têm a mira doente e representam, elas sim - o passado da Humanidade.



E neste momento delicado em que tudo pode dar para o torto se não houver Diplomacia à séria, se os grandes states não aceitarem este novo poder económico e político e meterem a viola definitivamente no saco, então teremos mesmo a extinção da espécie humana no planeta Terra aqui à mão de semear.



---


Einstein tinha-nos avisado, há umas décadas:



“- Como vai ser a 3ª guerra mundial? Não sei. Mas sei como vai ser a 4ª guerra mundial – com pedras e paus!!!”



Infelizmente, ele tinha razão:


“- Só há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana!! – E em relação ao Universo, não tenho a certeza…!”



- Concordo contigo em ambas as afirmações, mestre lá das Físicas (quânticas ou nem por isso)



- HAJA PACHORRA !!!!

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Voltar ao BLOG